Pacientes
Espondilite Anquilosante

A espondilite anquilosante (EA) é uma doença inflamatória crônica de origem autoimune, que geralmente afeta os tecidos conjuntivos, caracterizando-se pela inflamação das articulações da coluna e das grandes articulações, como quadris, ombros e outras regiões. Pode evoluir para rigidez e limitação progressiva da coluna, que, ao longo do tempo, faz com que a qualidade de vida do paciente piore. 

É mais frequente em adultos jovens, entre 20 e 40 anos. Há uma maior prevalência no sexo masculino (3:1) e em indivíduos brancos.

O que causa a Espondilite Anquilosante?

A causa é desconhecida. Os especialistas sabem que a doença é cerca de 300 vezes mais frequente em pessoas que herdam um determinado grupo sanguíneo dos glóbulos brancos, quando comparadas com aquelas que não possuem esse marcador genético, denominado HLA-B27.

O HLA-B27 está fortemente correlacionado com o surgimento da doença e um teste positivo para esse marcador é encontrado em 80% a 98% dos casos. 
A espondilite anquilosante não é transmitida por contágio ou por transfusão sanguínea.

Como diagnosticar a espondilite Anquilosante?

O diagnóstico da doença é baseado no conjunto de sinais e sintomas (exemplo: dor na região do quadril e nas costas) e nos exames de imagem (raios-x, tomografia computadorizada ou ressonância magnética) da bacia, da coluna e das juntas afetadas.
 
O médico faz um histórico e examina as costas (procurando por espasmos musculares, com atenção para a postura e mobilidade) e examinará as outras partes do corpo, procurando pelas evidências da espondilite anquilosante.

O diagnóstico da espondilite anquilosante é confirmado pelos exames de imagem acima citados. As alterações características estão nas juntas do quadril e na coluna, e podem levar alguns anos para desenvolver-se, podendo não ser notadas na primeira consulta. O médico poderá solicitar também exames de sangue.

Quais são os sintomas da espondilite anquilosante?

Dores na coluna que surgem de modo lento e gradativo durante algumas semanas, associadas à rigidez matinal da coluna, que diminui de intensidade durante o dia. A dor persiste por mais de três meses, melhora com exercício e piora com repouso.
 
No início, a espondilite anquilosante costuma causar dor nas nádegas, possivelmente se espalhando pela parte de trás das coxas e pela parte inferior da coluna. Um lado é geralmente mais doloroso do que o outro. Essa dor tem origem nas articulações do quadril. Alguns pacientes sentem-se cansados, perdem apetite e peso e podem ter anemia.

Quais os outros órgãos podem ser afetados pela Espondilite Anquilosante?

Olhos: uveíte ou irite - inflamação da região colorida do olho (íris) ocorre em um a cada sete
Pele: psoríase, uma condição inflamatória comum da pele, caracterizada por episódios frequentes de vermelhidão, coceira e presença de escamas prateadas, secas e espessas, pode estar associada à espondilite anquilosante em alguns pacientes.
Intestino: a colite, ou inflamação do intestino, pode estar associada à espondilite anquilosante
Articulações: A entesite é um processo inflamatório da entese (que é o nome dado ao local da ligação do músculo, tendão ou ligamento ao osso, ou seja, é o pontos de inserção)


2015© Copyright - UCB Biopharma S/A. Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade