Artrite Psoriásica

A Psoríase é caracterizada pelo aparecimento de lesões avermelhadas, escamosas, que afetam principalmente os joelhos, cotovelos e couro cabeludo. Entretanto, essas lesões podem aparecer em qualquer parte do corpo.

Enquanto a Psoríase afeta 2% da população no mundo, a Artrite Psoriásica (que une manifestações cutâneas e articulares) ocorre em cerca de 30% dos pacientes com Psoríase. A Artrite Psoriásica incide em uma igual porcentagem entre homens e mulheres, a maioria já na vida adulta. Geralmente o acometimento da pele precede ou acompanha o acometimento articular e a gravidade de ambas não se correlaciona. Raramente as manifestações nas juntas antecedem a doença na pele. Os pacientes com Psoríase envolvendo as unhas tem uma maior tendência para desenvolver a Artrite Psoriásica.

Referência:

  1. www.reumatologia.org.br – Cartilha Artrite Psoriasica
  2. https://psa.guidelinecentral.com/psoriatic-arthritis-pocket-guide/ Acesso 9 de abril de 2020, 14:23.
  3. Coates LC, Kavanaugh A, Mease PJ et al. Group for Research and Assessment of Psoriasis and Psoriatic Arthritis: Treatment Recommendations for Psoriatic Arthritis 2015. Arthritis Rheumatol. 2016 May;68(5):1060-71
  4. Menter D. et al. Guidelines of care for the management of psoriasis and psoriatic arthritis. J Am Acad Dermatol. 2011. 65(1):137-174.

Como é feito o diagnóstico de Artrite Psoriasica?

O médico dermatologista e reumatologista são os profissionais adequados para a avaliação de pacientes que tenham a doença cutânea e articular simultaneamente.

O diagnóstico é principalmente clínico em fase do tipo e da distribuição das lesões, além da história evolutiva da doença. Uma vez que a Artrite Psoriásica é uma Espondiloartrite, suas características são o fator reumatoide negativo, a ausência de nódulos subcutâneos, acometimento de articulações dos membros inferiores, ombros e pequenas articulações das mãos, além de tendinites, entesites e aumento difuso de alguns dedos, que aparecem na maioria das vezes após o período variável de tempo do comprometimento cutâneo.

Não existe um exame laboratorial específico capaz de confirmar o diagnóstico. O médico avaliará sinais como a Artrite em membros inferiores, entesite, dactilite, envolvimento das interfalangeanas distais e inflamação do esqueleto axial, também observar lesões nas unhas, perguntar sobre sintomas oculares, intestinais entre outros.

A avaliação clínica é o elemento mais importante para o médico na hora de decidir o melhor tratamento para o paciente. É sempre importante ter medidas objetivas, como o número de juntas doloridas ou inchadas, para que o grau de inflamação possa ser avaliado e para acompanhar se esse número aumenta ou diminui, decidindo assim se o tratamento está sendo eficaz ou não. Na Artrite Psoriásica três possíveis sítios da inflamação devem ser avaliados: a inflamação do local onde os tendões e ligamentos se fixam no osso (entesite) e a inflamação da coluna vertebral (espondilite).

Referência:

  1. www.reumatologia.org.br – Cartilha Artrite Psoriasica
  2. Kavanaugh A. et al. J Rheumatol, 2006; 33: 1417-21
  3. https://psa.guidelinecentral.com/psoriatic-arthritis-pocket-guide/ Acesso 9 de abril de 2020, 14:23.
  4. Coates LC, Kavanaugh A, Mease PJ et al. Group for Research and Assessment of Psoriasis and Psoriatic Arthritis: Treatment Recommendations for Psoriatic Arthritis 2015. Arthritis Rheumatol. 2016 May;68(5):1060-71

Quem pode ter Artrite Psoriásica e como ocorre?

A Artrite Psoriásica tem frequência aumentada em algumas famílias. Na maior parte dos casos a doença é desenvolvida por diversos fatores, como a interação entre diversos genes com desencadeantes ambientais, infecções, medicações, estímulo antigênicos, estresses físicos e/ou emocional.

O risco de a doença ocorrer entre irmãos em relação ao risco da população geral é superior a 27%, valor superior ao da Psoríase, que está entra entre 4% e 11%. A prevalência de Psoríase é 19 vezes maior entre parentes de primeiro grau de pacientes com Artrite Psoriásica em relação a população geral.

As estatísticas variam, porém, acredita-se que entre 5% e 40% das pessoas que têm Psoríase podem apresentar dor e inflamação nas articulações. O acometimento articular pode afetar mais pessoas de raça branca, sendo entre homens e mulheres o acometimento igualitário, países europeus como Dinamarca, Suécia e Rússia são os mais atingidos, e a faixa etária na Psoríase é entre 30 a 45 anos, já na Artrite Psoriásica entre os 40 a 55 anos.

Os fatores que aumentam o risco de um paciente com Psoríase Cutânea desenvolver a Artrite Psoriásica, incluem a presença de lesões nas unhas, envolvimento cutâneo mais extenso (quanto a área de pele afetada) e também histórico familiar de Artrite Psoriásica.

Referência:

  1. www.reumatologia.org.br – Cartilha Artrite Psoriasica
  2. Coates LC, Kavanaugh A, Mease PJ et al. Group for Research and Assessment of Psoriasis and Psoriatic Arthritis: Treatment Recommendations for Psoriatic Arthritis 2015. Arthritis Rheumatol. 2016 May;68(5):1060-71
  3. DE VLAM, K, GOTTLIEB, AB, MEASE, PJ. Current Concepts in Psoriatic Arthritis: Pathogenesis and Management. Acta Derm Venereol 2014; 94: 627–634.
  4. Menter D. et al. Guidelines of care for the management of psoriasis and psoriatic arthritis. J Am Acad Dermatol. 2011. 65(1):137-174.

Sinais e Sintomas da Artrite Psoriasica

Pessoas que possam ter parentes, mesmo distantes, que tenham Psoríase, devem evitar as situações que podem desencadear a doença, como cigarro, álcool, estresse emocional e traumas físicos. Pacientes que tenham histórico familiar de psoríase, ou “caspa” que não melhora com os tratamentos convencionais, devem ficar atentos para possíveis surgimentos de lesões de pele que são caracterizadas por uma placa com vermelhidão e descamação, que podem indicar o começo da doença assim como os surgimentos dos sintomas articulares.

Dactalite: Refere-se a uma inflamação de um dedo inteiro, seja das mãos ou dos pés.

Entesite: Inflamação de outros locais fora as juntas, como os tendões que se juntam aos ossos.

Onicólise: Depressões, lesões debaixo das unhas, espessamento da unha e até mesmo destruição completa da unha.

Referência:

  1. www.reumatologia.org.br – Cartilha Artrite Psoriasica
  2. Coates LC, Kavanaugh A, Mease PJ et al. Group for Research and Assessment of Psoriasis and Psoriatic Arthritis: Treatment Recommendations for Psoriatic Arthritis 2015. Arthritis Rheumatol. 2016 May;68(5):1060-71
  3. DE VLAM, K, GOTTLIEB, AB, MEASE, PJ. Current Concepts in Psoriatic Arthritis: Pathogenesis and Management. Acta Derm Venereol 2014; 94: 627–634.
  4. Liu JT, Yeh HM, Liu SY, Chen KT. Psoriatic arthritis: Epidemiology, diagnosis, and treatment. World J Orthop 2014; 5(4): 537-543
  5. Menter D. et al. Guidelines of care for the management of psoriasis and psoriatic arthritis. J Am Acad Dermatol. 2011. 65(1):137-174.
  6. Salaffi F et al. Health Qual Life Outcomes. 2009;7:25