Espondilite Anquilosante

É uma doença inflamatória crônica que afeta principalmente o esqueleto axial (coluna vertebral, Sacroilíaca e quadris) mas também articulações periféricas, especialmente grandes articulações dos membros inferiores.1 Muitos pacientes apresentam outras manifestações relacionadas à doença, tais como: doença cardiovascular, uveites (inflamação do olho), doença inflamatória intestinal, psoríase, entesite, osteoporose e fraturas vertebrais.2,3

Em geral, tem início entre os 20 e 45 anos de idade, e acontece em maior frequência no sexo masculino. Cerca de 20 a 25% dos indivíduos têm história familiar positiva para alguma das doenças do espectro da Espondiloartrite.1

Cerca de 20 a 25% dos pacientes têm alguém na família com alguma das doenças do espectro das espondiloartrites, e por isso podem ter herdado um determinado componente sanguíneo (antígeno) chamado HLA-B27. Esta componente está presente em cerca de 70 a 90% dos pacientes acometidos pelas espondiloartrites, dependendo da etnia.1

A origem das espondiloartrites parece estar relacionada com a interação entre o sistema imunológico e bactérias do trato gastrointestinal, urinário e pele. Essas interações contribuem para a ativação de células de defesa (linfócitos) do corpo, que migram para articulações e medula óssea, desencadeando em inflamação principalmente nesses locais.1

Referência

  1. www.reumatologia.org.br – Cartilha Espondiloartrites
  2. Elewaut D et al. Rheumatology (Oxford). 2009.48(9):1029-1035.
  3. Taurog JD. Harrison’s Principles of Internal Medicine. 18th ed. 2012.

Quais são os sintomas da Espondiloartrite Axial?

As dores na coluna que surgem de modo lento e gradativo, associadas à rigidez matinal prolongada da coluna, que diminui de intensidade durante o dia são alguns sintomas da Espondiloartrite Axial. A dor persiste por mais de três meses, melhora com exercício e piora com repouso principalmente no período noturno. Qualquer segmento da coluna vertebral pode ser afetado, mas a região lombar é a mais frequente. Também podem ocorrer:

Envolvimento ocular: Principalmente a uveíte anterior aguda onde os pacientes se queixam de dor, hiperemia, fotofobia e visão embaçada, em geral tendo início súbito e duração limitada.

Envolvimento da pele: A manifestação mais comum é a psoríase, uma condição inflamatória comum da pele, caracterizada por episódios frequentes de vermelhidão, coceira e presença de escamas prateadas, secas e espessas.

Envolvimento gastrointestinal: O envolvimento intestinal é descrito em até 60% dos pacientes com Espondiloartrite, por meio de achados endoscópicos. Pequena porcentagem desses pacientes (8 a 10%) pode apresentar diarreia crônica ou intermitente, necessitando de tratamento medicamentoso associado.

Envolvimento das articulações periféricas: A entesite é um processo de inflamação do ponto de ancoragem dos tendões, ligamentos, e cápsulas ao tecido ósseo especialmente as constituídas por fibrocartilagem. Causando dor e rigidez, com restrição da mobilidade.

Referência

  1. www.reumatologia.org.br – Cartilha Espondiloartrites

Como é o diagnóstico da Espondiloartrite Axial?

O diagnóstico da Espondiloartrite Axial é baseado em um conjunto de sinais e sintomas articulares e não-articulares, exemplo: dor na região do quadril e nas costas, exames de imagem como, raios-x, tomografia computadorizada ou ressonância magnética da bacia, coluna e articulações afetadas, histórico familiar, presença de outras manifestações como psoríase, uveite, osteoporose, inflamações gastrointestinais etc.

O médico faz uma análise clínica, procurando por espasmos musculares com atenção para a postura, mobilidade e também examina outras partes do corpo, procurando por possíveis evidências da doença.

Em exames laboratoriais, costuma-se observar a elevação de VHS (Velocidade de Hemossedimentação), do PCR (Proteína C Reativa) e quando possível o médico solicita o exame HLA-B27 para saber se o paciente possui o antígeno.

Junto aos exames clínicos e laboratoriais, somam-se exames de imagem para ver se há sinais de inflamação nas articulações.

A presença de um aspecto clínico e de um radiográfico permite o diagnóstico da doença. Até o próximo mês com mais conteúdos sobre Espondiloartrite Axial!

Referência

  1. www.reumatologia.org.br – Cartilha Espondiloartrites