Psoríase

Psoríase é uma doença inflamatória, crônica, sistêmica e autoimune que causa placas avermelhadas espessas na pele, cobertas por crostas esbranquiçadas ou prateadas. Esta doença acomete principalmente os joelhos, cotovelos e o couro cabeludo, mas ainda assim, essas lesões podem surgir em qualquer parte do corpo.

A Psoríase é uma doença que acomete cerca de 2% da população e pode afetar a qualidade de vida dos pacientes, além da questão estética da pele. Apesar de não ser contagiosa, a Psoríase a qualidade de vida do paciente em suas atividades diárias. Uma dica importante é aplicar hidratantes corporais uma ou duas vezes ao dia, os mais indicados são aqueles que não contém perfume pois diminuem os riscos de alergias. Procure seu médico para saber qual hidratante é mais indicado para sua condição.

A Psoríase em placas é o tipo mais comum da doença, atingindo 90% dos pacientes. Esta se manifesta em boa parte dos indivíduos entre os 20 e 40 anos, mas também pode aparecer durante a infância.

Pode se apresentar de formas leves e facilmente tratáveis até casos muito extensos, que levam à incapacidade física e pode acometer também as articulações.

Essas lesões podem apresentar coceira, dor, queimação, descamação, inchaços e rigidez nas articulações. A causa da doença é genética, ocorrendo um desequilíbrio imunobiológico, contudo, fatores ambientais e o stress podem ser importantes agravadores.

Referência

  1. Associação Brasileira de Dermatologia (SBD). Psoríase. O que é?
  2. Disponível em: https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/psoriase/18/ Último acesso em 23 de Agosto de 2019.
  3. Parisi R, Symmons DP, Griffiths CE, Ashcroft DM; Identification and Management of Psoriasis and Associated ComorbidiTy (IMPACT) project team. Global epidemiology of psoriasis: a systematic review of incidence and prevalence

Fatores desencadeantes da Psoríase

Fatores desencadeantes da Psoríase. São eles:

  • Inverno com clima frio e seco;
  • Luz solar em excesso;
  • Infecções e stress psicológicos;
  • Medicamento anti-inflamatórios, corticoides e betabloqueadores;
  • Trauma mecânico;
  • Tabagismo/álcool
  • Fatores endócrinos, que podem flutuar com as alterações hormonais;
  • Picos de incidência na puberdade e durante a menopausa; Na gravidez, os sintomas podem melhorar ou piorar.
  • É importante saber que os sintomas desaparecem e reaparecem periodicamente, sempre procure a ajuda de um médico especialista, a automedicação pode piorar o quadro! Cada caso é um caso.

Referência

  1. Lancet 2015; 386: 983–94
  2. Consenso Brasileiro de Psoríase 2012